One Life Alive

No One Life Alive você encontra os mais destacados clínicos e pesquisadores do mundo, apresentando trabalhos relevantes para a prática profissional e contribuindo para difundir informação precisa, clara e segura para a população.

Palestrante
Prof. Dr. Kenneth J. Doka

Viver com uma doença que ameaça a vida. Videoaula do Prof. Dr. Kenneth J. Doka

Câncer, Aids, e outras tantas doenças graves. Do diagnóstico à comunicação para a família e amigos. O enfrentamento. O tratamento.

Os altos e baixos de emoções e de consciência sobre a própria mortalidade. Negação? Raiva? Medo? Sentimentos lineares ou uma verdadeira colmeia de emoções? A evolução do tratamento ou a certeza de que não há cura e que cuidados paliativos são possíveis.

Como oferecer o suporte necessário a quem lida com tanto estresse? Como apoiar quem vive com uma doença que ameaça a vida?

As questões acima e muitas outras são abordadas nesta videoaula do Prof. Dr. Kenneth J. Doka,  membro da ADEC – Association for Death Education and Counseling e autor de obras consagradas sobre perdas, morte, luto e sobre viver com doenças que ameaçam a vida, tais como Grief Is a Journey: Finding Your Path Through Loss Hardcover, Spirituality and End-of-Life Care, entre outras.

Nesta videoaula, o professor destaca as abordagens de alguns autores sobre o tema e como ele compôs sua própria metodologia, baseada em tarefas para cada uma das fases da doença, visando tratar pacientes com doenças graves e pacientes fase final da doença.

A contribuição de Kübler-Ross: os cinco estágios do processo de luto

Doka relembra, por exemplo, a obra da psiquiatra Kübler-Ross e sua inegável contribuição para o debate sobre o processo da morte nos Estados Unidos, com sua Teoria dos 5 Estágios do Processo de Luto: segundo Ross, o doente passaria pelas etapas de negação, raiva, barganha, depressão, aceitação e esperança. Doka explora os conceitos apresentados por Ross, indicando seus acertos e suas fragilidades: a negação e aceitação, segundo o professor, são temas muito mais complexos e uma teoria de fases sugere em uma linearidade que não se aplica aos sentimentos, entre outras considerações.

O legado de Avery Weisman: como usar o Middle Knowledge

Na sequência, ele traz os estudos do professor emérito da Harvard Medical School, falecido em 2017,  Avery D. Weisman , sobre as ordens de negação: primeiro o paciente nega o sintoma (ignora uma mancha, um nódulo, por exemplo), depois, a doença e por fim, as consequências (paciente sabe que tem uma doença incurável mas afirma que Deus vai salvá-lo, por exemplo). Na opinião de Doka, o conceito de Middle Knowledge, ou, em uma tradução livre, Conhecimento Médio, é uma das mais valiosas contribuições de Weisman e parte importante da metodologia desenvolvida por Doka para trabalhar com seus pacientes que vivem com doenças graves. Aplicar o Conhecimento Médio significa, por exemplo, permitir que o paciente dê o tom da conversa (ele é quem deve sinalizar quando e como deseja abordar o tema morte, e não o médico ou alguém da equipe de apoio); entre outros pontos.

A metodologia do professor Doka

Inspirado pelos ensinamentos de Kübler-Ross, E. Mansell Pattinson e Weisman, entre outros autores, e com sua vasta experiência clínica, Doka desenvolve sua própria metodologia para o tratamento de quem vive com uma doença que ameaça a vida, descrita em sua obra Counseling Individuals with Life Threatening Illness  e apresentada de forma didática e comentada nesta videoaula.

Seu método traz orientações claras à equipe multidisciplinar envolvida no tratamento do doente grave ou paciente fora de possibilidades terapeúticas, ajudando médicos, enfermeiros/ cuidadores, terapeutas e, claro, o próprio paciente, a traçarem juntos um planejamento estratégico com tarefas para cada uma das fases da doença, permitindo que o paciente se sinta no controle da sua vida, mantenha sua individualidade (autoconceito) e vivencie suas emoções bem suportado pela equipe médica, familiares e amigos.

No quadro a seguir, algumas das tarefas sugeridas pelo professor, de acordo com as fases da doença (para saber mais, acesse o vídeo e veja como cada uma das tarefas é trabalhada com exemplos de situações reais)

Fases Tarefas
Diagnóstico Validar sentimentos e medos / trabalhar a questão espiritual, etc.
Crônica Prevenção e gestão de crises médicas / lidar com questões financeiras / manter e redefinir relações, etc.
Recuperação Trabalhar resíduos físicos, psicológicos, sociais e espirituais/ lidar com ansiedade, etc.
Terminal Oferecer informações e opções, lidar com cuidadores, personalizando o tratamento, etc.

Entre as orientações de Doka estão a abordagem cautelosa para contingências da vida —  como o que responder quando o paciente pergunta se deve ou não parar de trabalhar —  a personalização do tratamento e a não-imposição de regras rígidas, o diálogo aberto, o resgate da história de cada um (o cuidador deve sempre lembrar que o doente é mais do que a própria doença, mas um marido, uma esposa, um profissional que tem uma história), a busca pela linguagem apropriada e melhor forma de comunicação, sempre respeitando as individualidades.

“Viver com uma doença que ameaça a vida” é uma videoaula de extrema importância para médicos e cuidadores de pacientes graves ou pacientes em fase final da doença. O didatismo de Doka também permite que familiares e amigos possam se preparar de forma mais adequada para oferecer o suporte necessário ao paciente.

Saiba mais sobre o Prof. Dr. Kenneth J. Doka

periódico OMEGA – Journal of Death and Dying, especializado em temas relativos a morte, morrer e luto.

É membro atuante da ADEC – Association for Death Education and Counseling, que realiza importantes reuniões científicas anualmente nos Estados Unidos. Também se destaca por sua participação no IWG – International Work Group on Death, Dying and Bereavement, para o qual contribui com sua experiência em questões relativas ao fim de vida e cuidados paliativos.

Sua lista de publicações é vasta, embora ainda não traduzido para o Português. Aborda o conceito de luto não reconhecido (termo cunhado por ele), luto antecipatório e questões de gênero.

Entre suas principais obras estão:

Grief is a journey: finding your path through loss (2016)
Counseling individuals with life-threatening illness (2008)
Disenfranchised grief: new directions, challenges, and strategies for practice (2002)
Death and spirituality (1993)

E muitas outras!

Assista às videoaulas do autor:

Viver com uma doença que ameaça a vida.

Luto e Gênero. Palestra sobre luto e comportamento 

Luto não reconhecido. Palestra e conceito 

Para saber mais sobre o autor, acesse: http://drkendoka.com

Veja seu currículo aqui.