Humanização na medicina: a empatia pelo paciente

Segundo o dicionário, “humanizar significa dar ou adquirir a condição humana”. Assim, atrelar humanização e medicina parece óbvio. Porém, ao longo da história, o avanço da tecnologia na medicina e a consequente mecanização do atendimento levou a um crescente distanciamento entre cuidadores e pacientes.

De acordo com Márcia Stephan, Mestre em Psicologia pela FGV-RJ e estudiosa de temas relativos ao relacionamento entre paciente e cuidador, entre outros, “se no começo do século eram poucos os recursos disponíveis na medicina, por outro lado o relacionamento entre paciente e médico era mais profundo”.

 

A importância dos cuidados paliativos para quem tem uma doença incurável

Segundo o Instituto Oncoguia, os cuidados paliativos oferecem assistência humana e compassiva para as pessoas na última fase de uma doença incurável para que possam viver o mais confortavelmente possível.

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, com o apoio da Academia Nacional de Cuidados Paliativos desenvolveu uma cartilha de distribuição gratuita para abordar o tema. O material intitulado “Vamos falar de cuidados paliativos”, foi baseado no documento “Let’s talk about Palliative and Hospice Care” da autoria do OhioHealth, um sistema de saúde sem fins lucrativos, composto por hospitais e provedores de serviços de saúde localizado em Columbus, Ohio e região.