O luto como resultado de rompimento de vínculos

“O luto é o resultado de um rompimento de vínculo. Vínculo com alguém que me era significativo, com quem eu tinha algum tipo de compromisso”. Maria Helena Franco

No curso “O luto, suas bases e expressões”, a psicóloga Maria Helena Franco nos relembra da Teoria do Apego, de John Bowlby e a importância dos vínculos em nossas vidas e o que acontece quando eles são rompidos no caso de uma morte. Quanto somos capazes de nos reestruturar, vivenciar o luto e ficarmos “bem”? Quando o luto não é mais considerado “normal”? – esses e outros questionamentos são trabalhados ao longo de onze aulas.

Nossas primeiras conexões começam quando ainda somos bebês, em especial com uma figura central de cuidado (na maioria das vezes a mãe, mas não necessariamente ela). Esta primeira conexão é no sentido de garantir nossa sobrevivência. Choramos quando temos uma demanda – fome, medo, sono, troca de fraldas e outras.  Compreendemos que o choro terá como resposta o atendimento a essa demanda.

Ao perdermos alguém, choramos também, visando resgatar a pessoa que partiu, de alguma forma, como a tínhamos antes, da maneira como gostaríamos. Revisitamos, portanto, esse nosso comportamento de busca por ajuda. Além do choro, temos outros comportamentos de busca pela pessoa: revemos vídeos, ouvimos mensagens gravadas, revemos fotos, entre outras possibilidades.

O suporte ao enlutado será no sentido de lhe ajudar a construir uma nova forma de manifestação do vínculo. A conexão não deixará de existir, mas ela se transformará e o profissional da saúde mental poderá ajudar o enlutado neste caminho de descobrir qual será o novo lugar de quem partiu em sua biografia.

Referência: Curso “O Luto, suas bases e expressões”, com Maria Helena Franco.

0 respostas em "O luto como resultado de rompimento de vínculos"

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mini Cart 0

Seu carrinho está vazio.

X